Quem tem medo da avaliação de desempenho?

Muita gente nutre certa rejeição pelas avaliações de desempenho promovidas pelas empresas. Suponho que essa atitude decorra do ‘peso’ que o termo avaliação carrega. Como está muito associado a julgamento e ao risco de punição, um bom número de profissionais enxerga as avaliações de desempenho com desconfiança, apreensão e, por que não dizer, medo…

A raiz do problema vem de longe. Quem não lembra de professores de ensino fundamental e médio ameaçando turmas indisciplinadas com uma ‘avaliação [prova] difícil’ para castigá-los? Hoje em dia há inúmeros chefes que avaliam de forma igualmente distorcida seus subordinados, o que reforça o estigma negativo em torno da avaliação de desempenho.

Convido você a enxergar essa prática como oportunidade de viabilizar melhorias e não como instrumento de tortura psicológica.

Vamos estabelecer duas bandeiras fundamentais:

  • A avaliação e gerenciamento do desempenho humano são processos contínuos. Um líder que convive com seu grupo no mesmo ambiente de trabalho será capaz de avaliá-los com segurança todos os dias;
  • Um negócio que busca evoluir em seu modelo de gestão, em seus índices de eficiência operacional e em macro resultados empresariais deverá, fundamentalmente, adotar uma visão construtiva da avaliação de desempenho.

Vejamos um exemplo simples: uma empresa estabeleceu um conjunto de 10 critérios de avaliação e aplicou junto ao seu quadro de funcionários, através de avaliações individualizadas sob a responsabilidade das respectivas lideranças de cada área. A análise dos resultados finais revelou o seguinte quadro, com três grupos de profissionais:

O grupo denominado Talento: não só atende as expectativas de desempenho, mas consegue superá-las. São indivíduos que exibem alto valor agregado em suas competências e possuem grande potencial a ser desenvolvido ao longo do tempo. São as jóias da coroa do quadro de pessoal da empresa. Para eles, a avaliação jogará luz sobre suas virtudes e abrirá as portas do desenvolvimento da carreira profissional. Para a empresa, haverá uma diretriz chave para comunicar a devolutiva[feedback a respeito dos resultados]: reconhecer o talento e a performance superior deles, abrindo espaço para promoções e premiações diversas.

O grupo Mediano: Sem dúvida, é a faixa mais ampla do gráfico. Cerca de 95% dos profissionais da nossa empresa exemplificada se encaixam nesse perfil de desempenho. São pessoas que cumprem integralmente seus papéis, executam suas funções sem, contudo, exibirem nenhum traço de diferenciação. Tendem a ser executores de rotinas – sem maiores novidades. A diretriz a ser seguida pela empresa na devolutiva será incentivar o grupo mediano a render mais, sendo mais ousado, buscando a superação de limites, a fim de sair da zona de conforto em que demonstra estar.

O grupo Tá Lento: Vem apresentando desempenho fraco, abaixo das expectativas. São pessoas que vivem vários tipos de dificuldades: gente mal treinada e de baixa competência, problemas de relacionamento, desmotivação, influência negativa de variáveis externas, dentre outras mazelas. Para esse grupo, há uma questão chave: o baixo desempenho de cada um pode ser revertido? Há possibilidade de tratamento? Caso sim, deve-se direcionar a devolutiva para buscar recuperar a perfomance do profissional, a fim de mantê-lo na empresa. Em caso negativo, deve-se optar pelo desligamento.

Observe que nas três hipóteses, sempre há a busca pela melhoria do quadro de pessoal da empresa – seu verdadeiro diferencial competitivo. Mesmo a decisão em torno do desligamento será benéfica, tanto para a pessoa, quanto para a empresa.

Ainda tem medo da avaliação de desempenho? Quem está preparado não terá nada a temer. Quem está falhando, também não. Veja a AD como um processo ‘do bem’, ou seja, oportunidade de evidenciar a boa performance ou de corrigir falhas. Agindo assim, todos evoluem e amadurecem: avaliadores, avaliados e a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

     

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>